Baixada Fluminense se destaca por áreas verdes preservadas

A região metropolitana do Rio de Janeiro mantém 36,27% de seu território verde conservado e desse total 10,96%, ou seja, praticamente um 1/3, está na região da Baixada Fluminense. Segundo o Mapa da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, produzido pelo Governo do Estado, através da Câmara Metropolitana, grande parte dessas áreas são espaços protegidos, como parques, reservas e estações ecológicas.

Nilo Sergio Felix, secretário de estado de Turismo do Rio de Janeiro, destaca a importância desses espaços como atrativos turísticos direcionados para o segmento ecológico e de aventura.

– Os municípios da Baixada Fluminense estão localizados a poucos quilômetros da Capital. Natureza e ecoturismo, grandes atrativos da região, são, segundo o Ministério do Turismo, o segundo principal motivo das viagens realizadas por estrangeiros no Brasil. Essa é uma área que tem potencial de crescimento.

O Secretário Estadual lembra ainda a proximidade entre os municípios da região, a boa infraestrutura hoteleira e o grande número de agências de turismo aptas a dar suporte aos viajantes.

– Os municípios de Duque de Caxias, Nova Iguaçu e Queimados tem juntos nove hotéis de rede. Esses empreendimentos tem 843 quartos o que faz com que a região possa atender a demanda de visitantes que estejam em qualquer uma das dez cidades da Baixada Fluminense.

Nova Iguaçu é um dos que mais representa o universo verde da Baixada Fluminense. Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, 66% da área total do município é correspondente a vários tipos de unidades de conservação da natureza, como áreas de proteção ambiental, reservas e parques. Entre elas está o Parque Natural Municipal de Nova Iguaçu, onde é possível encontrar vários exemplos da flora e da fauna da região, bem como, um patrimônio científico que expõe as estruturas subterrâneas abaixo de vulcão tal como condutos subvulcânicos.

O Parque possui 11km2 e terá, a partir deste ano, gestão compartilhada entre os municípios de Nova Iguaçu e Mesquita. O local está aberto ao público de terça a domingo, das 8 às 17h. É um excelente local para caminhadas, trilhas, rapel e banhos, já que abriga trilhas, aproximadamente 14 poços e cachoeiras abertas para uso recreativo. Na área norte está a rampa de voo livre, localizada a mais de 700m de altitude, e que permite uma vista panorâmica da cidade.

O diretor de Operações da TurisRio, Sergio Mello, que tem acompanhado as diversas reuniões dos gestores do turismo da Baixada para organizar a atividade, disse que a enorme área verde que abrange os municípios da região tem tudo para se transformar num importante atrativo turístico.

– Os representantes do turismo estão trabalhando a atividade na região de forma única, entendendo que desta forma, podem atrair para seus destinos muito mais visitantes. As áreas verdes se espalham por diversos municípios. Esse esforço coletivo na promoção de seus atrativos é fundamental para apontar os caminhos a serem seguidos e fazer com que a Baixada possa, definitivamente, se desenvolver através do turismo, atividade importante geradora de emprego e renda.

Duque de Caxias é outro destino da região que se destaca nesse segmento. O município, que tem área total de 464,6 Km2, correspondendo a 6,8% da Região Metropolitana e a 35% da Baixada Fluminense, apresenta 44% de áreas verdes, divididas por quatro distritos. Em 2006 foi instituído, através de Lei municipal, o Plano Diretor Urbanístico. Na ocasião, foram resguardadas quinze áreas estratégicas para a preservação dos ecossistemas locais, denominadas de Zonas de Especial Interesse Ambiental (ZEIA’s).

O município tem ainda unidades de conservação como o Parque Natural Municipal da Caixa D’Água e o Parque Natural Municipal da Taquara, excelentes opções de turismo contemplativo; a Área de Proteção Ambiental do São Bento, com 827 hectares e a Reserva Biológica do Equitativa, onde as visitações são restritas, sendo possível apenas ações de educação ambiental e pesquisas autorizadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Abastecimento e Agricultura de Duque de Caxias.

Ainda segundo o Mapa da Região Metropolitana o percentual de 36,27% de áreas verdes conservados, corresponde a mais de dois mil quilômetros quadrados, sendo que 16,47% (1.110 km²) são espaços protegidos, como parques, reservas e estações ecológicas. Além disso, boa parte da vegetação está em áreas de difícil acesso, assegurando, uma defesa natural contra uma degradação por ação humana.

Informações: Setur