“Carmina Burana” retorna ao Theatro Municipal do Rio em curta temporada

Os bailarinos Claudia Mota e Filipe Moreira (Foto: Júlia Rónai)

Com a participação de seus três corpos artísticos – Balé, Coro e Orquestra Sinfônica – “Carmina Burana” retorna ao palco do Theatro Municipal no final de julho. A Orquestra Sinfônica será regida pelo maestro titular Tobias Volkmann. O Coro Infantil da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) fará participação especial. O balé conta com coreografia de Rodrigo Neri, coreógrafo premiado e bailarino do Theatro Municipal. As apresentações serão dias 21, 22 e 23 de julho, com ingressos a partir de R$ 20. Toda a renda do espetáculo será revertida para complementar o pagamento dos salários atrasados dos funcionários do Theatro Municipal.

O espetáculo foi recebido calorosamente pelo público em junho, com as vendas de suas quatro récitas totalmente esgotadas. Além disso, Carmina foi o ápice das comemorações do aniversário de 108 anos do Theatro, no último sábado, dia 14 de julho, para deleite do público carioca. Agora, o Rio terá uma nova oportunidade de assistir a essa emocionante cantata. Considerada pela crítica Adriana Pavlova, em matéria assinada no jornal O Globo, “…uma daquelas raríssimas experiências de fruição em que tanto artistas quanto plateia tem a sensação de viver uma catarse…”, “Carmina” marcou o retorno das produções próprias com os três segmentos dos corpos artísticos da Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Antes, com parte dos corpos artísticos, ocorreram apresentações das óperas “Jenufa” e “Norma”.

– Desde a primeira reunião com as diretoras do Balé do Theatro Municipal, Ana Botafogo e Cecilia Kerche, ficou claro haver uma ‘missão’ nesta minha direção artística: desenvolver coreógrafos brasileiros para balé clássico. Apesar de termos no Rio a mais importante companhia de balé clássico do Brasil, quase todos os grandes clássicos ainda dependem de coreógrafos de fora para remontar os balés. Popularizar, dar acesso à cultura feita no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, é a visão que tenho trabalhado com André Lazaroni, Secretário de Estado de Cultura e presidente da Fundação Teatro Municipal. Isso passa por dar oportunidades a nossos artistas, desenvolver a maneira nossa de fazer arte clássica. Foi uma grande sorte termos Rodrigo Negri no balé pronto para o desafio de transformar a conhecidíssima ‘Carmina Burana’ em espetáculo múltiplo, envolvendo coro, orquestra e, claro, balé – observa André Heller-Lopes, diretor artístico da Fundação.

Sobre “Carmina Burana”

“Carmina Burana” (latim; em português: “Canções da Beuern”, sendo “Beuern” uma abreviação de Benediktbeuern) é o nome dado a um manuscrito de 254 poemas e textos dramáticos dos séculos XI, XII e XIII. São peças picantes, irreverentes e satíricas, escritas em latim medieval, com partes em médio-alto-alemão e francês antigo ou provençal. Vinte e quatro poemas de Carmina Burana foram musicados por Carl Orff em 1936. A composição rapidamente se tornou popular. O movimento de abertura e de encerramento tem sido utilizado em filmes e eventos. A cantata estreou em junho de 1937, em Frankfurt.

Solista Michele Menezes (Foto: Júlia Rónai)

CARMINA BURANA
Ballet, Coro e Orquesrea Sinfônica do Theatro Municipal
Música Carl Orff
Coreografia Rodrigo Negri
Regência Tobias Volkmann
Participação Especial Coral Infantil da UFRJ
Regente Maria José Chevitarese

Solistas Michele Menezes, Ciro D’Araújo, Jacques Rocha

1ºs Bailarinos: Claudia Mota e Filipe Moreira.
1ºs solistas: Deborah Ribeiro, Priscilla Mota, Edifranc Alve
2º solistas: Carlos Cabral, Rachel Ribeir
Corpo de baile: Fernanda Martiny, Juliana Valadão, Mônica Barbosa, o, Regina Ribeiro, Renata Gouveia, Paulo Muniz, Santiago Junior Participação Especial Elisa Baeta, Inês Schlobach, Lourdes Braga, Shirley Pereira, Teresa Ubirajara, Zélia Íris, Roberto Lima
Assistente de Coreografia Marcela Gil

Ensaiador César Lima
Assistente Margarida Mathews
Maestro Titular do Coro Jésus Figueiredo
Diretoras do BTM Ana Botafogo e Cecília Kerche

Serviço:
Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano, s/nº – Centro)
21 de julho às 20h
22 de julho às 16h
23 de julho às 17h

Ingressos
Camarotes/frisas: R$ 300
Plateia/balcão nobre: R$ 50
Balcão superior: R$ 30
Galeria: R$ 20

Ingressos disponíveis na bilheteria do Theatro e pelo site Ingresso Rápido (clique aqui para comprar seu ingresso)