Borboletário FioCruz

veri-vg_1092O Borboletário Fiocruz é mais uma opção de visitação e lazer no campus da Fundação, em Manguinhos, no Rio de Janeiro. O espaço de 84m² reproduz o habitat natural das borboletas e abriga cerca de 100 exemplares de quatro espécies: Olho-de-coruja, Borboleta-brancão, Ponto de laranja e Julia.

981741-borboletario-9659

Anteos_menippe_8

brabuletas

borboletario-fiocr

Além da exposição e do contato com o colorido e a beleza das borboletas vivas, os visitantes poderão acompanhar, no laboratório, o desenvolvimento das outras etapas da vida destes insetos, desde a fase de larvas até o inseto adulto, e conhecer de perto a rotina desses insetos, desde sua alimentação com néctar das flores até a postura de ovos.

borboleta-dryas-iulia-diego-delso-wikimedia-commons-interna

Fruto de uma parceria entre o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), o Museu da Vida (COC/Fiocruz) e a Diretoria de Administração do Campus (Dirac/Fiocruz), o Borboletário foi inaugurado em 2010, e reaberto em outubro de 2015.

De acordo com Ricardo Lourenço, pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e idealizador do espaço, o Borboletário será um instrumento de sensibilização da população, visando a divulgação da ciência em relação à biodiversidade. “Com a reabertura, a Fiocruz deixou de ser um expositor destes insetos e assumiu o papel de criador científico das borboletas para a finalidade de difusão da ciência”, afirmou. Cerca de trinta mil pessoas passaram pelo espaço, em 2010, ano que foi inaugurado, só no primeiro mês de visitação. “Nossa expectativa é de que o sucesso seja ainda mais significativo com a reabertura do espaço”, concluiu Ricardo.

dsc01078

O ‘Borboletário Fiocruz’ integra o circuito de visitação do Museu da Vida, que inclui locais como o Centro de Recepção, o Parque da Ciência, o Ciência em Cena e o Espaço da Biodescoberta.

A iniciativa é uma parceria entre o Instituto Oswaldo Cruz e o Museu da Vida, da Casa de Oswaldo Cruz, e conta com o apoio da Diretoria da Administração do Campus (Dirac/Fiocruz) e do Centro de Criação de Animais de Laboratório (Cecal/Fiocruz), na criação e manutenção dos insetos.

O ambiente abriga quatro espécies de borboletas: olho-de-coruja (Caligo illioneus), ponto-de-laranja (Anteos menippe), borboleta-brancão (Ascia monuste) e Julia (Dryas julia), que podem ser encontradas em diferentes áreas tropicais do continente americano.

lamina_borboletario1

O ‘Borboletário Fiocruz’ está situado no campus da Fiocruz, em Manguinhos (Av. Brasil, 4365). O espaço é aberto ao público, de terça a sexta-feira, das 9h às 16h30 e, aos sábados, das 10h às 16h. A entrada é gratuita.

De terça a sexta-feira, as visitas devem ser agendadas previamente com o Museu da Vida. Aos sábados, não é preciso agendamento.

Para agendar sua visita, entre em contato com o Museu da Vida pelo telefone (21) 2590-6747 ou vá pessoalmente ao Centro de Recepção do Museu. Para obter mais informações sobre a atividade, envie e-mail para recepcaomv@coc.fiocruz.br ou acesse o site www.museudavida.fiocruz.br. O agendamento, porém, é feito somente por telefone ou pessoalmente.

Créditos: FioCruz