Entenda a relação entre ingestão de café e pressão arterial

O café é uma das bebidas mais populares em todo o mundo. Uma grande parcela da população mundial ingere café diariamente. Devido a sua ampla utilização, há muito tempo se questiona se o café apresenta efeitos benéficos ou deletérios sobre a saúde. O primeiro relato de que o consumo de café poderia aumentar a pressão arterial ocorreu há quase 100 anos.

A cafeína, presente no café, parece ser a responsável pela elevação da pressão arterial. A ingestão de cafeína pura está associada com elevação aguda da pressão arterial. Esta elevação se inicia na primeira hora após a ingestão e dura por até 3h. O café comum contém aproximadamente 50mg de cafeína em cada 100ml, já o café expresso possui um teor mais elevado: 130mg em 100ml.

Apesar do café ser rico em cafeína, seu efeito sobre a pressão não é tão acentuado. Quando a cafeína é ingerida no café seu efeito sobre a pressão é bem menor do que quando é ingerida de forma isolada. A provável explicação é que o café apresenta várias outras substâncias que podem auxiliar na redução da pressão, contrabalanceando o efeito da cafeína. Estas substâncias incluem compostos antioxidantes como os polifenóis e as melanoidinas. O principal polifenol encontrado no café é o ácido clorogênico. Além disto, contém potássio e magnésio que também podem auxiliar na redução da pressão arterial.

Um fato interessante é que o consumo habitual de café leva ao desenvolvimento de tolerância ao seu efeito de elevar a pressão. Desta forma, o café induz pequena elevação da pressão em indivíduos que têm o hábito de consumir esta bebida. Estudos sugerem que o café pode ser consumido, desde que em quantidades moderadas. Em geral, considera-se que a ingestão de 2 a 3 xícaras por dia seja segura e sem efeitos adversos para indivíduos saudáveis.

Fonte: Sociedade Brasileira de Hipertensão