Parque Nacional de Itatiaia é opção de turismo ecológico no Rio

Quem passa pela Via Dutra (BR-116), entre Rio de Janeiro e São Paulo, avista, de longe, o pico das Agulhas Negras, penhasco cheio de pontas. O local é um dos principais atrativos do Parque Nacional de Itatiaia, localizado no maciço do Itatiaia, ao sul do Rio de Janeiro e Minas Gerais.

A área de 30 mil hectares abrange os municípios de Alagoa, Bocaina de Minas e Itamonte, em Minas Gerais, além de Itatiaia e Resende, no Rio de Janeiro.

O local proporciona aos visitantes recreação e turismo ecológico. Boa parte dos atrativos é acessada pelo lado fluminense como: Lago Azul, Cachoeira Poranga, Piscina Natural do Maromba, Cachoeira Itaporanni, Cachoeira Véu de Noiva e Três Picos.

Já a parte mais alta, incluindo o pico das Agulhas Negras, é acessada pelo lado mineiro. A partir da estrada de Itamonte, a 1.666 metros de altitude, fica a outra entrada do parque, no Registro da Garganta.

É nesse cenário que o parque de Itatiaia reserva atrativos para amantes do turismo de aventura. São mais de 100 mil visitantes por ano, muitos deles buscam os pontos de acesso mais difíceis.

Foi lá que o bancário Reinaldo Palmeira, de Brasília, e Ediceu Pereira, servidor público em São Paulo, fizeram expedição com 20 quilômetros e oito horas de caminhada, ida e volta, até a Pedra do Sino (2.670 m).

A aventura foi conduzida pelo guia Felipe Guimarães, com 20 anos de experiência na área, e ainda contou com o mexicano Ulises Viveiros.

“Fomos os primeiros a atingir o topo da montanha em 2017”, comemorou Reinaldo. Junto com o amigo Ediceu, ele pretende escalar os 10 pontos mais altos do Brasil. Para Reinaldo foi o segundo, já Ediceu está à frente.

“Já realizei oito escaladas como esta”, disse. Os dois se conheceram no Monte Roraima e planejam subir o Pico da Neblina na próxima escalada. Uma amizade proporcionada pelo gosto de ambos pelo turismo de aventura.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Turismo