Festival Internacional de Cinema Infantil chega ao Rio e Niterói

d614505

O Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI) chega à sua 14ª edição como o único festival com abrangência nacional dedicado ao público infantojuvenil. Em 2016, mais de 100 filmes de 21 países se somam aos 900 filmes exibidos nas 13 edições do evento. O FICI já levou um público superior a 1,5 milhão de espectadores aos cinemas.  Com patrocínio do Ministério da Cultura, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura, Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, Petrobras, BNDES e RioFilme, apoio de Telecine, Globo Filmes, Anima Mundi, AdoroCinema e Afinal Filmes e exibição exclusiva na  Rede Cinemark em cinco cidades brasileiras, o FICI apresentará curtas, médias e longas-metragens, brasileiros e internacionais, mostras especiais além de oficinas e debates.

A Rede Cinemark e o FICI levam o festival ao Rio de Janeiro e Niterói (16 a 25 de setembro), Salvador e Aracaju (14 a 23 de outubro), e, por fim, Natal (21 a 30 de outubro) com meia-entrada a R$10 para todos.

Na 14ª edição, o FICI mantém a tradição como maior vitrine do audiovisual direcionado ao público infantil no Brasil. Um intenso trabalho de curadoria, tanto para títulos de destaque no mercado internacional inéditos no circuito brasileiro, quanto para lançamentos recentes no país, faz jus ao nome reconhecido no calendário mundial de festivais de cinema infantil.

“O que mais me agrada ver é a evolução da programação. No principio, só tínhamos os filmes. Agora, temos a Dublagem ao Vivo, o Pequeno Jornalista, o Pequeno Cientista e as Oficinas de Animação, que brincam com técnicas de animação diferentes a cada ano. Quando o FICI começou, a produção de filmes para crianças não tinha essa quantidade, nem essa qualidade”, afirma Carla Camurati.

miriami_hulkuv_koer_still_jpeg_05

Apresentar joias internacionais

O Programa Internacional do FICI em 2016 traz filmes inéditos no Brasil, como a animação Molly, a Monstrinha (2016, Alemanha), dirigida por Michael Ekblad, Matthias Bruhn e o autor e ilustrador Ted Sieger, que produz conteúdo infantil há mais de 30 anos. No filme, a monstrinha, que já protagonizou uma série com 52 episódios e um especial de Natal para TV, deixa de ser filha única e embarca em uma grande aventura. Outro sucesso que será apresentado ao Brasil é a banda finlandesa de heavy metal para crianças Heavisaurus, que estrela o longa Heavysaurs – dinossauros da pesada (Pekka Karjalainen, 2015, Finlândia). O live-action coloca as crianças em papel de protagonistas que precisam salvar o dia, assim como em A sociedade secreta de Souptown (Margus Paju, 2015, Estônia), que também integra o programa.

Este ano, o festival terá a pré-estreia mundial da animação 3D norte-americana Cegonhas: a história que não te contaram (2016), dirigida por Nicholas Stoller e Doug Sweetland. Outro filme inédito nos cinemas brasileiros é Jack e a Mecânica do Coração (2013), que faz parte da Sessão Telecine de Cinema. O filme foi indicado ao Urso de Ouro na Mostra Generation do Festival de Berlim em 2014 e ao César de Melhor Filme de Animação em 2015.

Um dos programas mais concorridos do FICI, a sessão Dublagem Ao Vivo permite que o público conheça e acompanhe de perto o trabalho dos dubladores, assistindo à dublagem em tempo real. Antes de entrar em cartaz no Brasil, dois filmes serão dublados ao vivo no FICI: Lobos e Ovelhas (Maxim Volkov e Andrey Galat, 2016, Rússia) e Mune, o Guardião da Lua (Benoît Philippon e Alexandre Heboyan, 2014, França). Os outros dois filmes que completam a programação são exclusividade do festival: Dofus – Livro 1: Julith (Anthony Roux e Jean-Jacques Denis, 2016, França), que explora o universo do jogo online de RPG Dofus, e Kikoriki, a Lenda do Dragão Dourado (Denis Chernov, 2016, Rússia), segundo filme baseado na série de TV de muito sucesso na Rússia.

Os curtas-metragens também têm um espaço próprio no festival. O FICI selecionou nove filmes internacionais, que prometem muita diversão para os pequenininhos na sessão Pequenos Que Nem Você. Outros nove curtas-metragens premiados compõem a sessão 9x Animação. Dedicada às crianças a partir de oito anos, a sessão faz um panorama mundial com o que há de melhor na animação. Em parceria com o Anima Mundi, o FICI também traz uma seleção especial de curtas-metragens no programa Anima Mundi Para Crianças, composto por curtas de todos os cantos do mundo e de diversos temas, cuidadosamente escolhidos pela produção do festival de animação.

Além das estreias, o festival dá aos pequenos uma segunda chance para conferir grandes sucessos da telona, na mostra Se você ainda não viu. Os americanos Zootopia (Byron Howard e Rich Moore, 2016), O Bom Dinossauro (Bob Peterson e Peter Sohn, 2015) e No Mundo da Lua (Enrique Gato Borregán, 2015, EUA) dividem espaço com a animação francesa O Pequeno Príncipe (Mark Osborne, 2015) e o primeiro filme da saga Kikoriki, Kikoriki, A Turma Invencível (2011), que fez sucesso no FICI 2013.

mg_7463-1024x682

Celebrar o cinema brasileiro

Além de servir como vitrine das novidades internacionais, o FICI relembra sucessos do audiovisual brasileiro. A trilogia Tainá voltará às telonas com a exibição de Tainá – uma aventura na Amazônia (Tânia Lamarca e Sérgio Bloch, 2000), Tainá 2 – a aventura continua (Mauro Lima, 2005) e Tainá – a origem (Rosane Svartman, 2011) em cópias digitalizadas. No programa Te vi na TV, que destaca os sucessos da telinha, serão exibidos episódios das séries animadas brasileiras As Aventuras de Gui e EstopaQue Monstro te MordeuTronquinho e Pão de Queijo e SOS Fada Manu. Já no programa Especial Brasil, Carrossel – o Filme (Alexandre Boury e Mauricio Eça, 2015) será exibido junto ao inédito O que Queremos para o Mundo? (Igor Amin, 2015).

O festival também permite que as crianças aprendam sobre a magia do audiovisual fazendo seus próprios filmes, na Oficina de Cinema de Animação. Com entrada gratuita mediante apresentação de ingresso para qualquer sessão do FICI, a oficina acontecerá nos dias 24 e 25 de setembro no saguão do Cinemark Downtown.

Em uma missão para incentivar a produção audiovisual brasileira direcionada ao público infantojuvenil, o FICI realiza o Prêmio Brasil de Cinema Infantil, atualmente na nona edição. Em 2016, um total de 140 curtas-metragens foram inscritos nas três categorias do prêmio: Histórias Curtas (live-action), Histórias Animadas (animação) e Mostra Teen. Um júri especializado selecionou 26 deles para a final, que será decidida por alunos da rede pública de ensino no primeiro dia do Fórum Pensar a Infância, 21 de setembro. O Fórum Pensar a Infância, atividade integrante do FICI acontecerá entre os dias 21 e 23 de setembro no Centro Cultural Solar de Botafogo, no Rio de Janeiro.

“Fazer filmes para crianças é mais do que um presente para os pequenos. Também beneficia o olhar do realizador e o desenvolvimento de narrativa, porque elas têm uma sensibilidade muito especial que o cineasta precisa entender. Por isso, é muito bom ver que há uma geração que quer produzir para esse público”, comemora Carla Esmeralda, diretora do evento ao lado de Carla Camurati.

maxresdefa7ult

Educar com o audiovisual

No projeto A Tela na Sala de Aula, professores e alunos da rede pública de ensino e projetos sociais saem da rotina e se divertem juntos, descobrindo o que há de melhor no Cinema. O intuito desta programação é oferecer filmes de diversas nacionalidades que sirvam ao professor como ferramenta de apoio à educação.

Cada filme apresentado possui um caderno pedagógico, com sugestões de atividades, criado a partir dos parâmetros curriculares do Ministério da Educação e dividido por segmento escolar (da educação infantil ao ensino médio), disponibilizado gratuitamente no site do FICI. Mais de um milhão de crianças já participaram deste projeto, que acompanha o festival desde a primeira edição, em 2003.

Pensando no debate e na formação de cidadãos, o FICI promove a Mostra Novos Jovens, um encontro marcado com pré-adolescentes e adolescentes para assistir e discutir  assuntos abordados pelos filmes. Na programação da mostra estão os filmes nacionais O Escaravelho do Diabo (2016), de Carlo Milani, baseado na obra de Lúcia Machado de Almeida, e O Menino no Espelho (2013), de Guilherme Fiúza Zenha, baseado na obra de Fernando Sabino.

Na sessão O Pequeno Cientista, as crianças conversarão com um cientista sobre o longa-metragem em 3D Amazônia (Thierry Ragobert, 2013, Brasil), que conta a história de Castanha, um macaco-prego que vivia em cativeiro e foi solto na Floresta Amazônica. Já a sessão O Pequeno Jornalista, na qual as crianças e um jornalista convidado debatem sobre o filme após a sessão, trará a animação em 3D O Pequeno Príncipe. Depois da exibição, os pequenos jornalistas também têm a oportunidade de escrever suas impressões sobre o que assistiram e a experiência de ir ao cinema.

fici

Serviço

Rio de Janeiro – 16 a 25 de setembro

Cinemark Downtown

Av das Américas, 500 – Bloco 17, 2º piso – Barra da Tijuca

Cinemark Botafogo

Praia de Botafogo, 400 – Arco 800 – Botafogo

Cinemark Carioca Shopping

Estrada Vicente de Carvalho, 909 – 2º Pavimento – Vila Kosmos

Niterói – 16 a 25 de setembro

Cinemark Plaza Shopping Niterói

R. XV de Novembro, 8 – Loja 333 – Centro