Corrida de rua: os melhores lugares para queimar algumas calorias na Cidade

Cidade Maravilhosa é repleta de pistas para correr com uma vista incrível ao redor (Foto: Rio 2016/Ricardo Azoury)

Os cariocas levam a boa forma muito a sério. Um passeio pelas praias do Rio de Janeiro deixa isso evidente, embora a regra tenha suas exceções. Além das estações de musculação ao ar livre e dos inúmeros campos de futevôlei e vôlei de praia espalhados pelas areias da cidade Olímpica, a natureza exuberante é outra aliada na hora de fazer exercícios. Pensando nisso, o Rio 2016 selecionou algumas das melhores trilhas para quem quer calçar os tênis e dar uma corridinha.

Lagoa Rodrigo de Freitas

É o sonho de qualquer corredor. Há marcações ao longo dos 7,5km da pista de corridas, para manter o atleta bem informado sobre sua posição e a distância percorrida. Se a vista do Cristo Redentor lá no alto não for incentivo suficiente, é sempre possível observar os outros corredores e travar duelos imaginários.

A pista de concreto não é lá muito generosa com os joelhos. Se você tem algum problema com isso, pode considerar uma mudança de planos.

Bom para: calcular a distância percorrida; corridas leves; pessoas competitivas
Ruim para: joelhos

(Foto: Riotur/Alexandre Macieira)

Vista Chinesa

Um pagode chinês aguarda os corredores que desafiam os árduos 5km de uma trilha recheada de inclinações. Com início no Jardim Botânico, esta não é a pista de corrida mais acessível do Rio de Janeiro, porém, a vista lá do alto é uma enorme motivação.

As ladeiras tornam o traçado perfeito para corredores resistentes. E, se você é do tipo valente, pode até esticar a corrida até a Mesa do Imperador, alguns quilômetros adiante.

Bom para: trabalhar as pernas; vista incrível
Ruim para: corridas leves

(Foto: Wikipedia)

Copacabana e Ipanema

Apesar das faixas especiais para corredores e ciclistas, Copacabana e Ipanema exigem um pouco de atenção do corredor, para evitar acidentes com pedestres e animais de estimação. A ideia aqui é correr com uma plateia ao redor e tentar resistir à tentação de trocar o exercício no calçadão por algumas horas de sedentarismo na areia.

Bom para: motivação; a vista; sentir-se carioca
Ruim para: evitar ciclistas e pedestres

(Foto: Riotur/Alexandre Macieira)

Uma das dezenas de praias do Rio

A areia é geralmente evitada por corredores, já que o esforço nunca parece ser suficiente para cobrir uma boa distância. Mas ela é perfeita para quem busca corrida de baixo impacto para os joelhos e com a chance de pequenos piques.

O melhor de correr na praia, ao contrário do calçadão, é o fácil acesso à água. Quando você estiver cansado do desafio de correr sobre a areia fofa, pode facilmente desviar alguns metros e aproveitar a área úmida e firme. Ou, quem sabe, desviar ainda mais e se jogar no Oceano Atlântico para relaxar.

Bom para: piques; saltar no mar depois da corrida
Ruim para: a auto-estima

(Foto: Getty Images/Julian Finney)

Aterro do Flamengo e Praia de Botafogo

O Aterro do Flamengo é uma das áreas mais populares da cidade para atividades ao ar livre: ciclismo, futebol, basquetebol, skate… É possível correr na pista ao redor do Aterro, no calçadão da praia ou na grama. Também não faltam por ali boas opções para comer, o que pode tirar o foco de alguns. Quem desce mais um pouco chega a Botafogo, onde, ao longo da rota, o corredor pode avistar o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor.

Bom para: vistas inspiradoras
Ruim para: resistir ao cheiro de boa comida

(Foto: Riotur/Pedro Kirilos)

Parque Madureira

Além de receber um dos live sits dos Jogos Olímpicos, o Parque Madureira, tem áreas perfeitas para o corredor, com fontes de água, pista de skate e outros atrativos que mantêm a mente ocupada. Fica próximo ao Estádio Olímpico (Engenhão).

Bom para: corrida leve
Ruim para: longas trilhas

(Foto: Riotur/Alexandre Macieira)

Fonte: Rio 2016