Teresópolis ganha primeiro mapa de trilhas


Screenshot_2016-08-03-10-29-54-1

Parceria entre a Secretaria Municipal de Turismo e o principal clube de montanhismo do município, o Centro Excursionista Teresopolitano, resultou na confecção do primeiro mapa de trilhas de Teresópolis. O material, que acaba de ficar pronto e pode ser encontrado na rede hoteleira e nos postos de atendimento da própria secretaria, indica 12 opções de caminhadas em montanhas da região. Há informações sobre área onde estão localizadas as trilhas e seus acessos, níveis de dificuldade quanto ao tempo de duração, classificação e orientação.

Apesar de Teresópolis ter o título de Capital Nacional do Montanhismo, por conta das suas centenas de opções de trilhas e vias de escalada e ter começado aqui a história do esporte no país (boxe abaixo), a criação de um material para a divulgação dos nossos atrativos naturais pelo governo municipal é um feito inédito. O pequeno guia, confeccionado todo em cores, tem na capa um belo nascer do Sol visto do cume da Pedra da Tartaruga, montanha símbolo do PNMMT. Além dela, as outras trilhas indicadas, com rica quantidade de informações, são as do Camelo, Triunfo, Quebra-Frascos, Cadetes, Ermitage, Pico da Boa Vista (Floresta do Jacarandá), Serra dos Cavalos, Seio da Mulher de Pedra, Branca de Neve (Vale dos Frades), Torres de Bonsucesso e Pico do Palmital (Em Vieira). Além do CET, outro parceiro no projeto foi a loja Top Spin, que recentemente fez grande investimento para a comercialização de equipamentos e divulgação da prática desse esporte no município.

“O nosso grande atrativo é a natureza, o ecoturismo, o turismo rural, além do turismo gastronômico. Notamos que o Parque Nacional tem guias com todas suas trilhas e o parque dos Três Picos está preparando um mapa das suas trilhas. Então, vimos a necessidade de fazer o mapa das outras áreas, do Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis e também outras no entono das outras unidades ou que não estejam indicadas pelos outros parques. Chamamos o CET para que nos assessorasse com sua equipe técnica, orientando sobre os caminhos e a dicas necessárias. Assim nasceu esse primeiro mapa e agora já estamos começando a mapear já toda zona rural, junto com Uerj e Emater, para fazer outro mapa com todos atrativos que essa região apresenta e que não entrou nesse primeiro pois indicará outros atrativos da zona rural que precisam ser mostrados para nossos turistas”, explica o Secretário Municipal de Turismo, Elias Martins.

“Para a gente está sendo um presente participar e receber um mapa desses. Nunca havia acontecido por parte da prefeitura essa divulgação do nosso maior potencial”, lembra Leandro Nobre, do CET
“Para a gente está sendo um presente participar e receber um mapa desses. Nunca havia acontecido por parte da prefeitura essa divulgação do nosso maior potencial”, lembra Leandro Nobre, do CET

Mais divulgação, mais conscientização
Um dos montanhistas em atividade mais experientes de Teresópolis, Leandro Nobre é o atual presidente do Centro Excursionista Teresopolitano, único clube do município filiado à Federação de Esportes de Montanha do Estado do Rio de Janeiro e que inclusive oferece curso básico de escalada com homologação da FEMERJ. Leandrinho, como é mais conhecido, destaca a alegria da comunidade com a publicação produzida pela Secretaria de Turismo. “Para a gente está sendo um presente participar e receber um mapa desses. Nunca havia acontecido por parte da prefeitura essa divulgação do nosso maior potencial. O mapa foi muito bem recebido por nós que vivemos do montanhismo e vai dar chance as pessoas de fora de conhecerem melhor nossa região, esses locais tão bonitos de Teresópolis, além de muita gente da cidade mesmo conhecer lugares novos”, destaca.

Com a maior divulgação do esporte, é necessário também maior trabalho de conscientização dos possíveis novos praticantes. Afinal de contas, fazer caminhadas em áreas naturais ou qualquer tipo de escalada não é como ir passear em um shopping. É preciso respeitar o ambiente e todos os seres que vivem ali, garantindo o mínimo impacto possível em qualquer aventura. Não deixar nada a não ser pegadas e não levar nada a não ser lembranças.

“A pessoa vai estar em contato constante com natureza e ela tem que ser respeitada. Agora com campanhas de divulgação através das mídias, das rede sociais, está aumentando muito o número de frequentadores nessas trilhas, o que está criando um impacto maior. E isso também tem que ser pensado para não agredir muito lugar. É preciso respeitar o ambiente que se está, trazer seu lixo de volta, não causar nenhum tipo de desmatamento, evitar gritarias, não fazer suas necessidades próximo à nascentes, além de outros cuidados. Temos levar para casa depois somente lembrança e nunca causar danos em nossas trilhas”, enfatiza o Presidente do CET.

“A ideia é incentivar a prática do ecoturismo, nossa principal potencialidade, facilitando a vida dos nossos muitos turistas interessados nesse assunto”, explica Elias Martins
“A ideia é incentivar a prática do ecoturismo, nossa principal potencialidade, facilitando a vida dos nossos muitos turistas interessados nesse assunto”, explica Elias Martins

A história do montanhismo se confunde com a nossa

Além de estar cercada três unidades de conservação ambiental, Teresópolis tem o título de capital de nacional do montanhismo porque foi aqui que tudo começou, em 08 de abril de 1912. Nessa data, um grupo de moradores do município chegou ao cume do Dedo de Deus. Sentindo-se desafiado por alemães, que foram vencidos pela montanha e disseram “que se eles não conseguiram, ninguém mais conseguiria”, José Teixeira Guimarães se juntou ao mateiro Raul Carneiro e os irmãos Américo, Acácio e Alexandre de Oliveira e pisou no ponto mais alto da formação rochosa tida como invencível.

Após o grande feito, realizado com materiais criados por Teixeira e improvisações também em relação a como progredir na escalada, visto que não havia ainda técnicas para tal, o esporte deslanchou no país. Ou seja, quando a pessoa se interessar por montanhismo e pesquisar sua história, vai chegar a Teresópolis. E se for mais a fundo e quiser saber quem foi o primeiro brasileiro a pisar no cume da montanha mais alta do mundo, o Everest, com 8.848m de altitude, na Cordilheira do Himalaia, vai chegar ao nosso município novamente. O teresopolitano Mozart Catão, ao lado do paranaense Valdemar Niclevicz, realizou o feito em 14 de maio de 1995.

Além dessas importantes façanhas, nunca é demais frisar também que estão na nossa região atrativos naturais impressionantes e que saltam aos olhos daqueles que buscam lugares desafiadores e de beleza cênica incomparável: Agulha do Diabo, Nariz e Verruga do Frade, Escalavrado, Três Picos, Travessia Petrópolis x Teresópolis… Há muito o que fazer. Então, que tal largar o smartphone um pouco e realmente viver? Só não esqueça respeitar os lugares e suas regras e levar de volta para casa tudo que carregou para garantir seu conforto nessas aventuras.

. ..

Créditos: Diário de Teresópolis