EUA montam três bases no Rio de Janeiro durante os Jogos

maxresdefault

O governo dos Estados Unidos montou uma megaestrutura no Rio para receber os cerca de 200 mil turistas e 820 atletas americanos que são esperados para a Olimpíada e a Paraolimpíada. A estrutura, batizada de Escritório de Coordenação das Olimpíadas, terá funcionários de plantão 24 horas por dia em três localidades na cidade do Rio, para atender aos cidadãos americanos.

Os funcionários ficarão no consulado, no centro da cidade, além de ocuparem instalações na Barra e em Deodoro, regiões onde serão realizados alguns dos principais eventos esportivos. Além disso, o aplicativo de celular UsinRio oferecerá informações sobre os consulados, dicas, telefones de emergência e hospitais. Há também uma espécie de “botão de pânico”: um número de telefone ativo 24 horas por dia com atendentes fluentes em inglês para ajudar em emergências.

A estrutura americana para a Olimpíada do Rio começou a ser montada em 2014, com quatro diplomatas e 10 funcionários locais. Para a Copa do Mundo, vieram 90 mil turistas americanos. Para a Olimpíada RIO 2016, eles esperam até 200 mil, mesmo com alguns cancelamentos devido epidemia de zika.

Segundo o governo americano, o objetivo principal é garantir a segurança dos cidadãos americanos, independentemente do país onde se realizar o evento.

“Apoiamos o governo brasileiro em todos os aspectos dos preparativos dos Jogos e reconhecemos que o Brasil está comprometido com a realização de Jogos seguros”, diz a fonte.

Desde 2011, quando Brasil e EUA assinaram um memorando de entendimento para cooperação na organização de grandes eventos esportivos mundiais, os dois países já realizaram mais de cem encontros, entre treinamentos e viagens, para qualificar agentes de segurança brasileiros. No ano passado, agentes brasileiros foram aos EUA para serem treinados em procedimentos de segurança em grandes eventos de golfe, tema em que o Brasil no tem experiência.

Policiais foram levados para a maratona de Boston no ano passado – o esquema de segurança foi totalmente revisto após o atentado de 2013– e também para a Assembleia Geral da ONU, que se realiza todos os anos em Nova York e recebe centenas de chefes de Estado. Além disso, houve treinamentos sobre processo de rastreamento em aeroportos e entrada de estádios. Os atletas americanos virão também com agentes de segurança, que devem agir em parceria com a polícia brasileira. “Todas as ações serão feitas conjuntamente com as autoridades brasileiras”, diz a fonte.


Fonte: Folha de São Paulo