Obras de Niemeyer no Rio e em São Paulo são tombadas pelo Iphan

Oscar Niemeyer à frente do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, tombado na última semana como Patrimônio Cultural pelo Iphan
Oscar Niemeyer à frente do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, tombado na última semana como Patrimônio Cultural pelo Iphan

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) decidiu na última semana pela inclusão do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, o Conjunto de edificações projetadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer para o Parque do Ibirapuera (SP) e a Passarela do Samba do Rio de Janeiro no Conjunto da Obra de Oscar Niemeyer, tombado pelo instituto em 2007.

Os três bens complementam a relação, encaminhada pelo próprio Oscar Niemeyer, de 24 monumentos protegidos como patrimônio cultural brasileiro em homenagem ao seu centenário, há nove anos. A decisão do conselho foi tomada por unanimidade. Os bens tombados estão sujeitos à fiscalização realizada pelo Instituto para verificar suas condições de conservação, e qualquer intervenção nesses bens deve ser previamente autorizada.

Conjunto arquitetônico projetado por Oscar Niemeyer no Parque Ibirapuera, em São Paulo
Conjunto arquitetônico projetado por Oscar Niemeyer no Parque Ibirapuera, em São Paulo

O processo de tombamento do conjunto da obra de Oscar Niemeyer decorre de uma relação encaminhada pelo próprio arquiteto ao então Secretário-Executivo do Ministério da Cultura e atual Ministro da Cultura, Juca Ferreira, em 12 de julho de 2007, contendo uma relação de 28 obras que o arquiteto gostaria que fossem tombadas.  O envio da correspondência foi motivado por visita do então Ministro da Cultura, Gilberto Gil, ao escritório do arquiteto que, em 15 de dezembro 2007 completaria 100 anos de vida.

A Passarela do Samba e a Praça da Apoteose, palco dos Desfiles das Escolas de Samba do Rio de Janeiro
A Passarela do Samba e a Praça da Apoteose, palco dos Desfiles das Escolas de Samba do Rio de Janeiro