Museu do Samba inicia visitações do pacote ‘Vivência do Samba’

pacote_vivencia_do_samba_inclui_aulas_de_samba_no_pe_e_percussao_foto_joao_laet

O Museu do Samba, localizado às margens do Morro de Mangueira, no Rio de Janeiro, recebeu o primeiro grupo de turistas do pacote turístico “Vivência do Samba”. A experiência tem cerca de quatro horas de duração e inclui visita mediada por pesquisadores do Museu do Samba a duas exposições, “Samba, Patrimônio Cultural do Brasil” e “Simplesmente Cartola”.

Depois, os visitantes podem fotografar vestindo fantasias usadas em desfiles na Marquês de Sapucaí e participam de dois workshops, um de samba no pé e outro de percussão. O workshop de samba foi conduzido pelos professores de dança Matheus Olivério, segundo mestre-sala da Mangueira, e Rafaela Bastos, musa da Verde e Rosa. No encerramento da visita foi servida uma feijoada, prato típico da gastronomia das escolas de samba.

O Museu do Samba criou este produto turístico mirando no público que visitará a cidade do Rio de Janeiro por conta dos Jogos Olímpicos Rio 2016. O “Vivência do Samba” foi lançado em novembro último e já conta com agendamentos de grupos de turistas nacionais e estrangeiros. Além do pacote especial, a instituição terá uma série de atividades que fazem parte do calendário olímpico da cidade, como rodas de samba e workshops de arte carnavalesca. Informações sobre o pacote podem ser obtidas através do e-mail contato@museudosamba.org.br .

Pacote Vivência do Samba turistas vestem fantasias FOTO JOÃO LAET

– O samba é um gênero vivo, dinâmico e em constante evolução. Por isso o Museu do Samba criou uma programação em que o visitante conhece a história do samba e também vivencia seu ritmo, sua gastronomia e interage com sambistas que brilham nas grandes escolas do carnaval do Rio de Janeiro – explica Nilcemar Nogueira, diretora do Museu e neta de Cartola e de Dona Zica da Mangueira.

O Museu do Samba surgiu a partir do Centro Cultural Cartola, fundado em 2001 por Nilcemar Nogueira. Inicialmente debruçado sobre a memória de Cartola e sua obra antológica, o Centro Cultural Cartola foi se tornando referência em pesquisa, preservação de memória, guarda e mostra de acervos, e atividades de música e cultura para sambistas, instituições ligadas ao samba e ao carnaval. Desde agosto de 2015, o espaço passou a chamar-se Museu do Samba.

museu

Informações: Carnavalesco