Turismo Rio 2016: 16 experiências ‘Medalha de Ouro’ no Rio de Janeiro (Parte 2)

6. Concerto e gastronomia de rua

theatromunicipal (1)
Foto: Riotur

“Qualquer programa no Theatro Municipal do Rio de Janeiro vale muito a pena. Aos domingos, você pode assistir a uma ópera, um concerto ou um balé por valores bem acessíveis. É um dos lugares mais bonitos do Rio, um prédio de 1909, que foi todo restaurado na época do seu centenário. E, depois, vale ir ao Rio Comprido para provar os Caldos da Nega, que são maravilhosos. Os meus preferidos são o feijão mexicano e a sopa Leão Veloso, de frutos do mar. Outra boa dica é ir à Ilha do Governador e experimentar o Tacacá da Rose, que faz comida típica do Norte do Brasil.” 

. Carla Camurati, diretora do Celebra, programa de cultura do Rio 2016

7. Quitutes e boas compras

bolinhosdebacalhaularanjeiras
Foto: Marcos Pinto

“Sábado de manhã, na feira livre da rua General Glicério, em Laranjeiras, experimente o bolinho de bacalhau na barraca do Mazzaropi e os pastéis na barraca do Bigode. Depois, para animar o início do fim de semana, é só tomar uma caipirinha de vodca ou cachaça na tenda do Luisinho, que fica entre várias barracas de roupa, bijuterias e souvenires. A partir das 13h, começa uma charmosa roda de choro, com músicos profissionais que, ao fim da apresentação, passam o chapéu recolhendo contribuições do público.”

. Sergio Bloch, autor do Guia Carioca da Gastronomia de Rua

8. Arquitetura e livros raros

realgabineteportuguesinterna1
Foto: Divulgação

“Um dos lugares mais lindos do Rio de Janeiro é o Real Gabinete Português de Leitura. É uma biblioteca pública, com 350 mil livros e muita gente, mesmo morando na cidade há anos, não conhece. Fica atrás do Teatro João Caetano, no Centro. Gosto do clima que tem lá, com aquelas belas estantes por todo o pé direito cheias de livros raros, como a edição de Os Lusíadas de 1572. E a construção em estilo neomanuelino, tem detalhes que vale parar para contemplar, como a claraboia da sala de leitura, os pórticos, o mobiliário. É tudo muito imponente, mas o ambiente é acolhedor”.

. Gringo Cardia, arquiteto e diretor de arte

9. Feijoada com roda de samba

Foto: Buda Mendes/Getty Images

“Qualquer pessoa fica louca em um ensaio da bateria na quadra da Mangueira. É uma experiência única mesmo para quem não tem nada a ver com o mundo do samba. Já levei minha família de São Paulo, ator francês, amigos estrangeiros… Todos ficam arrepiados. É uma ‘overdose’ de alegria. E, no segundo sábado de cada mês, tem a tradicional feijoada com roda de samba, sempre com participações de grandes músicos e cantoras como Alcione e Teresa Cristina. Não dá para passar pelo Rio sem ter essa experiência.”

. Gustavo Gasparani, ator, dramaturgo e diretor

10.  Bate papo no boteco

botecocaipirinha
Foto: Alexandre Macieira/Riotur

“O Rio de Janeiro acontece nas ruas, com as pessoas se encontrando nas esquinas, batendo papo e tomando uma cerveja ou uma cachaça em pé no balcão dos “pés sujos”, como o carioca chama os bares tradicionais. Existe um circuito de“pés sujos” em todos os cantos do Rio: no Centro, na Tijuca, em Copacabana, Botafogo, no Leblon. Eu sempre dou uma passada no Bar Rebouças, na esquina da rua Maria Angélica com a Jardim Botânico. O dono é um português e a mulher dele cozinha muito. O PF (prato feito) na hora do almoço é muito bom e, à noite, servem umas porções de croquetes sequinhos deliciosos. Você pode chegar a qualquer hora do dia e da noite e tem sempre comida boa, cerveja gelada e gente interessante para conhecer e bater papo.”

. Deborah Colker, coreógrafa e diretora de movimentos das cerimônias Rio 2016

 

Confira também:

Parte 1

Parte 3 

Fonte: Rio 2016