Velejadores da Clipper Race chegam ao Rio de Janeiro

Clipper

Integrantes da mais longa regata do mundo aportam na cidade maravilhosa. Segmento é aposta para ampliação das opções de turismo no Estado.

O turismo esportivo náutico estará em alta no Rio de Janeiro. Na última sexta-feira (25) começaram a chegar centenas de velejadores, familiares, patrocinadores e aficionados pelo esporte, movimentando o turismo e a economia. Trata-se da Clipper Race, a mais longa regata de volta ao mundo, que completa 20 anos.

Para Nilo Sergio Felix, secretário de estado de Turismo do Rio de Janeiro, o amplo litoral brasileiro, com mais de sete mil quilômetros, guarda um grande potencial para o desenvolvimento do turismo náutico.

– Eventos esportivos como a Clipper Race mostram a capacidade que temos para receber esses velejadores e estimula os viajantes amadores a colocarem nas suas rotas o Rio de Janeiro como destino. Estamos estimulando todas as vertentes do turismo, desde o gastronômico, cultural, histórico e, agora, estamos investindo, também, no náutico. Os cruzeiros já se consolidaram no nosso Estado. A capital e os municípios de Armação dos Búzios e Angra dos Reis/Ilha Grande se destacam na acolhida a esses turistas. Temos recursos naturais, produtos, serviços e infraestrutura adequada para recebê-los. Vamos explorar o potencial turístico do nosso Estado e associá-lo ao prazer de navegar – explica Nilo Sergio Felix.


Durante a passagem pelo Rio de Janeiro, a Clipper Race terá uma programação intensa que inclui encontros de negócios, velejadas corporativas, visitações guiadas aos barcos, palestras com a tripulação e comandantes e intercâmbio com outras atividades esportivas.

A regata é formada por doze barcos idênticos de 70 pés, projetados especialmente para o desafio. Entre os velejadores estão representantes de 44 países, como: Inglaterra, Escócia, França, Austrália, Ucrânia, China, Bulgária, Canadá, entre outros. Os participantes velejam durante quase um ano em um percurso de 40.000 milhas com uma série de paradas pela Europa, América do Sul, África, Austrália, Sudeste Asiático, China e América do Norte. O trajeto é dividido em 16 “pernas”, que atravessam os quatro oceanos.

A UNICEF nomeia, na Clipper Race deste ano, um dos 12 barcos da competição. Além de angariar fundos, o objetivo principal da sua presença na Clipper Race é difundir pelo mundo todo o trabalho desenvolvido pela instituição desde 1946.

Fonte: Setur