Personalidades do Rio – Nélida Piñon

Quinta ocupante da Cadeira 30, em 1996-1997 Nélida Piñon tornou-se a primeira mulher, em 100 anos, a presidir a Academia Brasileira de Letras, no ano do seu 1º Centenário.

Nélida Piñon nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 3 de maio de 1937. Filha de Olivia Carmen Cuiñas Piñon e Lino Piñon Muiños, de família originária de Cotobade, Galícia, radicada no Brasil desde a década de 1920. Formou-se em jornalismo pela Faculdade de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Em 1970, inaugurou a cadeira de Criação Literária na Faculdade de Letras da UFRJ. Tem ministrado cursos de curta duração e proferido conferências e palestras sobre temas ligados à cultura, à literatura e à criação literária, e também sobre sua obra romanesca, no Brasil e no exterior.

Sua estreia na literatura foi com o romance Guia-mapa de Gabriel Arcanjo publicado em 1961. Sua obra de romancista, contista e ensaísta foi traduzida em vários países. Contos seus são publicados em centenas de revistas e fazem parte de antologias brasileiras e estrangeiras.
Titular da Cátedra Henry King Stanford em Humanidades, da Universidade de Miami (ocupada anteriormente por Isaac Baschevis Singer, prêmio Nobel de Literatura de 1978) de 1990 a 2003. Em dezembro de 1996, desligou-se provisoriamente da cátedra, ao assumir a presidência da Academia Brasileira de Letras (1996-1997). Tornou-se a primeira mulher, em cem anos, a presidir a Instituição, no ano do seu I Centenário.

Em 2004, esteve presente à 1.a Reunião Plenária da Comissão do Quarto Centenário da Publicação do Dom Quixote, promovida pelo Presidente Zapatearo na Biblioteca Nacional de Madri. Designada membro do Conselho de Honra do Don Quijote, assumiu em dezembro de 2004, em Madri.

Em sua homenagem foi inaugurada a Biblioteca Nélida Piñon, no Morro Santa Marta, promoção da Editora Record e da Oldemburg.

Visiting Writer:
– Columbia University, Nova York, 1978;
– John Hopkins University, Baltimore, década de 80;
– Georgetown University, Washington, DC, em 1999;
– Ocupante da Cátedra Júlio Cortazar, fundada por Gabriel Garcia Márquez e Carlos Fuentes, em Guadalajara, México (novembro de 2001);
– Harvard University, Cambridge, 2001;
– Ocupante da Cátedra Alfonso Reyes, fundada por Carlos Fuentes e outros intelectuais, em Guadalajara, México (setembro de 2002).

Alguns cargos exercidos
– Membro do Conselho da Fundação Casa França-Brasil (1995);
– Membro do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, nomeada pelo Presidente da República (Brasília, 1995);
– Membro do Conselho Deliberativo da Sociedade de Amigos da Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro, Fundação Biblioteca Nacional, 1996);
– Na Academia Brasileira de Letras: diretora do Arquivo (1990-1995); eleita primeira-secretária (26.6.1995) e secretária-geral (7.12.1995); presidente em exercício na ausência do Presidente Antonio Houaiss (ago.-dez.1996). Foi eleita presidente da Academia em 5 de dezembro de 1996. É a primeira mulher, em 100 anos de existência da ABL, a integrar a Diretoria e ocupar a Presidência da Casa de Machado de Assis.
– Membro da Comissão de Honra dos festejos do V Centenário dos Descobrimentos, nomeada pelo Presidente Fernando Henrique Cardoso (1999);
– Membro do Foro Ibero-Americano constituído por Carlos Fuentes, nos anos 2000, 2001, 2003, 2004, com 30 intelectuais, empresários, políticos de todas as Américas e da Península Ibérica. Locais: México, Argentina, Brasil, Colômbia;
– Membro do Conselho da Cátedra Alfonso Reyes, em Monterey, 2003;
– Membro do Conselho da Cátedra Júlio Cortázar, Guadalajara, 2004.

Prêmios literários
Nacionais:
– Prêmio Walmap, pelo romance Fundador (1970, Rio de Janeiro);
– Prêmio Mario de Andrade, da APCA, São Paulo, pelo romance A Casa da Paixão, Melhor Livro do Ano (1973);
– Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), São Paulo, pelo romance A República dos Sonhos, Melhor Livro do Ano (1985);
– Prêmio Ficção PEN Clube, pelo romance A República dos Sonhos, Melhor Livro do Ano (1985, Rio de Janeiro);
– Prêmio José Geraldo Vieira (União Brasileira de Escritores de São Paulo), pelo romance A Doce Canção de Caetana, Melhor Romance do Ano (1987);
– Prêmio Golfinho de Ouro, pelo Conjunto de Obras, oferecido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro e pelo Conselho Estadual de Cultura (1990);
– Prêmio Bienal Nestlé, Categoria Romance, pelo Conjunto de Obras (1991, São Paulo);
– Prêmio Adolpho Bloch, concedido pela Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (19 de nov. 1996);
– Prêmio de Honra ao Mérito do Rotary Club do Rio de Janeiro (1997).
– Prêmio Alejandro José Cabassa, da União Brasileira de Escritores, pelo seu livro O Pão de Cada Dia.
– Prêmio Jabuti – categoria romance – por Vozes do Deserto (2005).

Internacionais:
– Uma das dez mulheres homenageadas com o Prêmio Simón Bolívar (Rio de Janeiro, maio de 1992);
– Prêmio Simon Dawidowitz, em Miami, como uma das dez mulheres internacionais do ano (1992);
– Prêmio Internacional Juan Rulfo de Literatura Latino-Americana e do Caribe (conjunto de obras), Júri integrado por Maria Kodama (Argentina), Raymond L. Williams (Estados Unidos), Abelardo Oquendo (Peru), Jorge Ruffinelli (Uruguai), Julio Ortega (Peru), Amos Segala (Itália), Ciaran Cosgrove (Irlanda), Gérard de Cortanze (França) e Adolfo Castañón (México), determinou, por unanimidade, outorgar pela primeira vez a uma mulher e a um autor de língua portuguesa (México, Guadalajara, Jalisco, 31 de julho 1995);
– Prêmio Ibero-Americano de Narrativa Jorge Isaacs, de Cali, Colômbia – para conjunto de obra (setembro de 2001). Primeiro autor de língua portuguesa e primeira mulher a receber tal prêmio.
– Prêmio Rosalía de Castro, para conjunto de obra em língua portuguesa – Galícia, Espanha, concedido pelo PEN Clube da Galícia (maio de 2002);
– Prêmio Internacional Menéndez Pelayo – entregue em Santander pela Ministra de Educação e Cultura de Espanha (10 de julho de 2003). Primeiro intelectual de língua portuguesa e primeira mulher a receber este prêmio;
– Nomeada Puterbaugh Fellow para 2004, prêmio oferecido pela Universidade de Oklahoma e a revista The World Literature Today (abril de 2004). Primeiro escritor brasileiro a receber esta láurea, concedida anteriormente a Octavio Paz, Carlos Fuentes, Mario Vargas Llosa;
– Prêmio Príncipe de Astúrias, Letras, indicada por um júri formado por 20 intelectuais espanhóis, presidido pelo Presidente da Real Academia, Don Victor Garcia de La Concha, em Oviedo, Espanha. Entregue pelos Príncipes de Astúrias no dia 21 de outubro de 2005, em Oviedo. A autora chegou às últimas votações do júri ao lado dos escritores norte-americanos Paul Auster e Philip Roth e do israelense Amos Oz. Primeiro escritor de língua portuguesa a receber esta láurea;
– Prêmio Woman Together, entregue em 3 de abril de 2006 na sede da ONU em Nova York, por sua “implicação na consecução dos Objetivos do Milênio Através do Desenvolvimento da Mulher, a luta contra a pobreza, a educação, a arte e a cultura”.
– Prêmio Cervantes da Fundação Cervantina de Guanajuato, México (2006).
– Prêmio Casa de las Americas, 2010, pela obra Aprendiz de Homero.
– VI Prêmio Internacional Terenci Moix de Literatura, Cinematografia e Artes Cênicas, Espanha – 2010, na categoria de melhor livro do ano – Corazón Andariego.

Jurada de prêmios
– Prêmio Neustadt – World Literature Today (Oklahoma, EUA, fev. de 1980);
– Prêmio Casa de las Américas (Havana, Cuba, 1983);
– Prêmio Latino-Americano de Literatura (Manágua, Nicarágua, 1987);
– Prêmio Guimarães Rosa (Paris, França, 1992-93);
– Prêmio Iberoamericano de Novela Santiago del Nuevo Extremo (Santiago, Chile, 15-23 nov. 1993);
– Prêmio UCLA de Literatura Latino-Americana (1996);
– Prêmio Internacional Juan Rulfo (Guadalajara, México, 1996);
– Prêmio Camões (Lisboa, Portugal, 1997);
– Prêmio José Saramago (Lisboa, Portugal, 1999, 2001, 2003, 2005);
– Prêmio Alfaguara (Madri, 2003);
– Prêmio Menendez Pelayo (Madri, 2004);
– Prêmio Norma (Cali, Colômbia, 2005).
_Prêmio Dom Quixote de La Mancha, em Madri e Toledo, 2010

Instituições a que pertence

No Brasil:
– Membro da Academia Brasileira de Letras;
– Membro do PEN Clube do Brasil;
– Membro do Instituto Brasileiro de Cultura Hispânica;
– Sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal (Brasília, 1995);
– Acadêmico Honorário da Academia de Cultura de Curitiba (1997).
_Academia de Filosofia do Brasil (2004)
_ Membro do Conselho da Fundação Santillana, no Brasil (2008)
No exterior:
– Membro do PEN Clube Internacional;
– Membro do International Pen Women Writer’s Committee (Kathmandu, Nepal);
– Membro do Phi Beta Delta, da Beta Theta Chapter, Honor Society for International Scholar, da University of Miami (EUA, Miami, 1993);
– Membro do Brasil Advisory Committee, The Florida Brazil Institute Report (EUA, Miami, 1994);
– Membro de Honra da Phi Beta Kappa – University of Miami (Miami, 25 abr 1996).
– Sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa (1998).
– Sócia correspondente da Real Academia Espanhola (2009).

Títulos internacionais
– Doutor Honoris Causa da Florida Atlantic University (Florida, Boca Raton, 1996);
– Doutor Honoris Causa da Université de Poitiers (França, 1997);
– Doutor Honoris Causa da Universidade Estadual de Nova Jersey (1998);
– Doutor Honoris Causa da Universidade de Santiago de Compostela, Espanha (1998), a primeira mulher a receber o título em 503 anos;
– Doutor Honoris Causa da Universidade de Rutgers, EUA (1998);
– Doutor Honoris Causa da Universidade de Montreal, Canadá (maio 2004);
– Doutor Honoris Causa da Pontfícia Universidade Católica de Porto Alegre, Rio Grande do Sul (2006);
– Doutor Honoris Causa da UNAN, México (2007).
– Embajadora Iberoamericana de la Cultura (XXII Cumbre Iberoamericana de Jefas y Jefes de Estado – Bicentenário da Constituição de Cádiz – 2012).

Condecorações nacionais e internacionais
– Ordem do Cruzeiro do Sul, entregue pelo Presidente da República (Brasília, 1990);
– Comenda do Barão do Rio Branco, no grau de oficial, entregue pelo Presidente da República, no Palácio do Itamarati (Brasília, 25 mai 1990);
– Lazo de Dama, de Isabel la Católica, concedida pelo rei Juan Carlos, da Espanha (Rio de Janeiro, 16 dez 1992);
– Medalha Castelao, outorgada pelo Parlamento galego e condecorada pelo Presidente da Galícia (Santiago de Compostela, 29 jun 1992);
– Medalha Dom Afonso Henriques, concedida pelo Presidente de Portugal;
– Medalha Tiradentes, concedida pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (8 mar 1996);
– Medalha Gabriela Mistral, comemorativa dos 50 anos de outorga do Prêmio Nobel à poetisa chilena, entregue pelo presidente do Chile, Eduardo Frei, em sessão solene, na abertura do Encontro Cultural Brasil-Chile (Salvador, BA, 27-31 mar 1996);
– Medalha Aquila do México, concedida pelo Presidente da República do México (México, março 1996);
– Ordem do Mérito Cultural, concedida pelo Presidente da República (1996);
– Medalha Tiradentes, concedida pelo Governo de Minas Gerais (1997);
– Ordem do Infante Dom Henrique, no grau de Grande Oficial (1997);
– Chevalier des Arts et des Lettres, concedido pelo Governo Francês (2000);
– Condecoração Reina Isabel, La Católica, concedida pelo Rei de Espanha (2000).
_ Ordem do Mérito da Mulher, concedido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro (2004).
_ Medalha de Honor de la Emigración, oferecida pelo Governo Espanhol (2007).