Personalidades do Rio – Roberto Marinho

Roberto Marinho: o patrono do maior império de comunicações do Brasil.

Primeiro filho de Irineu e Francisca, nasceu em 3 de dezembro de 1904, quando a família ainda não era próspera. A primeira infância foi difícil para ele. O pai era repórter, ganhava pouco e a situação só melhorou dez anos depois, quando Irineu fundou seu próprio jornal, A Noite. O vespertino tornou-se um dos mais lidos na então capital federal, com tiragens impressionantes para a época.

Carioca do bairro do Estácio, no Rio de Janeiro, Roberto Marinho passou a morar numa casa melhor, no bairro da Tijuca. Viveu a juventude na década de 1920, os chamados “anos loucos”, e aproveitou o descompromisso e a liberdade que a sua condição social passou a lhe proporcionar. Após a morte do pai, o primogênito teve o desafio de se preparar para assumir o recém-criado jornal O Globo.

Passou dez anos ao lado dos companheiros de Irineu Marinho, aprendeu a profissão e se tornou o diretor-redator-chefe. Testemunhou e participou de episódios que mudaram a história do Brasil. Construiu um grupo de comunicação e nunca abandonou seus companheiros de trabalho em momentos de dificuldade.

Exigente e respeitado até pelos adversários, cultivava o prazer e a beleza em várias esferas da vida. Gostava de arte, esporte, carros e festas. Teve quatro filhos e redescobriu o amor, pela última vez, aos 84 anos.

Candidatou-se a cadeira 39 da Academia Brasileira de Letras em 1993, na sucessão de Otto Lara Resende, tendo sido eleito em 22 de julho do mesmo ano.

Faleceu em 6 de agosto de 2003, aos 98 anos, em decorrência de um edema pulmonar. Foi sepultado no Cemitério de São João Batista, no Rio de Janeiro.

 

“A paixão maior era O Globo, sempre foi. O Globo nasceu com ele.”

(Roberto Irineu Marinho, presidente das Organizações Globo)

Roberto Marinho

Roberto Marinho: O grande empreendedor

Da oficina à administração, Roberto Marinho conhecia toda a engrenagem do jornal O Globo, sua primeira empresa de comunicação, fundada pelo pai em 1925. Aos 27 anos, assumiu o cargo de diretor-redator-chefe. O Globo, que hoje forma com o Extra e o Expresso a empresa Infoglobo, foi o ponto de partida para o conjunto de empresas denominado Organizações Globo (Sistema Globo de Rádio, Editora Globo, Rede Globo, Globosat e Som Livre). Uma delas, a TV Globo, inaugurada quando ele tinha 60 anos, deu origem a uma das mais importantes redes de televisão do mundo.

“Procurei cercar-me de homens de valor, corretos, que pudessem apressar a conquista de uma cultura indispensável às minhas atividades.”
(Discurso quando eleito empresário do ano em 1979)

Fundação Roberto Marinho

Educação é tudo num país com 190 milhões de habitantes e uma grande parcela da população sem saber ler nem escrever. Roberto Marinho apostou na responsabilidade social e criou, em 1977, uma entidade sem fins lucrativos para contribuir com o desenvolvimento da cidadania. Voltada para a educação e o conhecimento, a Fundação Roberto Marinho estabeleceu parcerias com entidades públicas e privadas, e o brasileiro passou a ter acesso ao ensino à distância, à revitalização do patrimônio histórico, à preservação do meio ambiente e a um canal de televisão destinado para a educação, o Futura.